[Filme] Mama

Um fantasma é um movimento sem forma, condenado a repetir-se continuamente até que corrija os erros que cometeu. 


Garotinhas que sofreram exclusão social e têm certos problemas para se adaptar novamente à sociedade em que viviam. Tem tema melhor? O problema é que o foco não é exatamente esse. 

Dirigido por Andrés Muschietti, Mama é baseado em um curta produzido em 2008 pelo mesmo diretor.  Devo dizer que como um filme de terror, como é classificado pela massa, é um pouco abaixo da média, mas não perde completamente seu crédito como um ótimo suspense.

Quando o pai de Victoria e Lilly mata a mãe das garotas, as leva para uma floresta a fim de fugir e acabar com tudo se matando e matando as garotas  não necessariamente nessa ordem. Mas após um curioso acontecimento resultando na morte do homem e no desaparecimento das garotas, o tio delas, Lucas, não mede esforços para achar nenhuma das duas, inclusive o irmão, o qual acredita ainda estar vivo.

Após cinco anos do sumiço, as garotas são achadas na selva, vivas. Como foram deixadas à mercê da floresta enquanto muito jovens, a habilidade de se comunicar delas está prejudicada e agora não confiam em ninguém. Elas também têm dificuldades para voltar a se relacionar e a se comportar normalmente, isto é, se comportar de forma aceitável para os padrões da sociedade.

Enquanto estão se adaptando as novas casa e vida, o tio das duas, Lucas, e Annabel percebem que as garotas agora interagem com uma figura invisível chamada Mama. Mas, quando acham que não deveriam se preocupar, tudo dá errado e um estranha criatura passa a assombrar a casa do casal.

Não estava esperando muito, e, com todas as críticas que as pessoas postavam no Facebook, não era de se esperar algo diferente. Blogueiros expressando seu ódio, principalmente contra o final que, na minha humilde opinião, não foi tão ruim assim. Como disse: é um ótimo filme de suspense.

Confesso que passei boa parte do filme esperando mais presença do Nikolaj Coster-Waldau  nosso conhecido Jaime, na sensacional Game of Thrones. Já a Jessica Chastain me surpreendeu com sua atuação digna de uma cerveja amanteigada. Cobriu todos os buracos deixados pelo Coster e ainda rebocou a parede de tijolos do meu coração.

A Atuação realmente não foi um problema no filme. Até as garotinhas, Megan Charpentier e Isabelle Nelisse, se saíram perfeitas em seus devidos papéis. Poderiam ter recebido seu devido valor, obviamente, se o clima sombrio tivesse sido bem trabalhado, mas o enredo deixou a desejar.

Creio eu que a ideia inicial era terror. Mal sucedida, aliás. Não por mal-atuação ou qualquer outra das coisas que já elogiei até aqui, obviamente. A única e um pouco desastrosa falha foi o enredo. Você se pergunta "mas por que diabos um espírito quer cuidar dessas crianças?". Pergunta essa respondida no final, o que faz com que não seja de todo mal. E, bem, convenhamos, um espírito da floresta  ou até mesmo, aquele espírito da floresta  não é lá tão aterrorizante  exceto uns berros que a criatura dava. 

Falemos agora dos efeitos especiais: ótimos. Sério. Só não são perfeitos por conta do espírito  sempre esse cabuloso. As borboletas saindo da parede, lodo etc. Meu Deus. Demais.

Enfim, é um filme ótimo. Perfeito suspense como venho dizendo desde o começo desta Crítica. Eu recomendo para todos que curtem o gênero  só peço que não esperem demais.

Obs.: Novamente venho pedir desculpas por não estar postando com frequência, mas prometo que nesse mês de julho eu pego um ritmo bom.

Um comentário:

  1. Meu professor na faculdade falou sobre este filme. É um tema realmente fantástico e envolve até antropologia no ponto em que as meninas não conseguem se socializar devido ao ambiente que elas viveram por um bom tempo. Faz meses que quero assistir este filme. As críticas não tem sido tão boas. Em breve irei assistir para tirar minhas conclusões. rs

    Ótimo post!!
    Beijos,
    comoumrefugio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir