Resenha: A Culpa é das Estrelas


A Culpa é das Estrelas,
de John Green,
editora Intrínseca. 



Hazel Grace, uma adolescente de 16 anos, foi diagnosticada com Câncer de Tireoide e Metáfase nos pulmões, e, em sua primeira ida a um centro de apoio para crianças com câncer, ela conhece Augustus Waters (SEC), um garoto que não possui mais evidências da doença.  

Hazel, que é completamente fascinada por um livro chamado Uma Aflição Imperial, de Peter Van Houten, apresenta-o para Gus, e ela percebe que não foi a única que se revoltou com o fato de que o livro não possui um final decente  literalmente. O livro acaba no meio de uma frase, fazendo com que eles, Hazel e Gus, resolvam ir atrás do homem que é intitulado o autor da obra para cobrar respostas, o que rende ao A Culpa é das Estrelas um poética e cancerosa estória de amor. 
As pessoas falam da coragem dos pacientes de câncer, e eu não a nego. Por vários anos fui cutucada, cortada e envenenada, e segui em frente. Mas não se enganem: naquele momento, eu teria ficado muito, muito feliz em morrer.
Depois de tanto que li sobre o livro, finalmente consegui resolvi lê-lo. Todos os lugares  todos mesmo, acreditem  em que eu ia virtualmente, é claro, – pessoas tinham lido e resenhado esse livro e em nenhum deles ninguém falou mal. Podem ter falado até que o santo não bateu ou que o cachorro comeu enquanto estavam na metade, mas nunca diziam que foi um livro ruim. Então apenas sintam o meu nível de empolgação ao pegar o livro em minhas mãos.

Apesar de John Green tê-lo feito um pouco previsível em certo ponto da narrativa, você não vai aguentar esperar para ler o próximo capítulo. Vai também pegar-se contendo aquela risadinha, aquela gargalhada, ou até mesmo aquele sorriso que surge nessa sua cara mal lavada, para que seus familiares não achem que você é esquizofrênico. 

John Green narra, não de forma insensível, mas de forma crua e casual. Em nenhum momento nenhum dos dois personagens deseja a pena de alguém, ou faz-se de vítima e chora pelos corredores da casa. É o oposto disso. Eles não querem preocupar ninguém e eles se preocupam com o quanto aquelas pessoas vão sofrer quando eles morrerem.
Uma tarde, ele apontou vagamente para o cesto de roupa suja no canto do cômodo e me perguntou:
 O que é aquilo?
 O cesto de roupa suja?
 Não, ao lado dele.
 Não vejo nada ao lado dele.
 Meu último resquício de dignidade. É muito pequeno.
O ponto alto do livro são os dois personagens principais, óbvio, mas o autor não deixa o foco dos outros muito atrás, dito que Hazel e Gus possuem uma boa interação com os personagens secundários.

A Culpa é das Estrelas é um livro Y.A. muito acima da média, narrado em primeira pessoa, assim como muitos outros. Não deixe a história do câncer fazer você pensar em clichês, porque são dos clichês que surgem as melhores estórias.

6 comentários:

  1. Gente, eu estou super afim de ler esse livro, cada vez que eu leio uma resenha dou gritinhos compulsivos, preciso dele!!!
    Sua resena foi mtmt bem escrita, parabéns!
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. no fim o Green fez que nem o Peter Van Houten com o final -qqq
    aeeeeeeee é pra aplaudir, o sr. conseguiu finalmente ler A Culpa é das Estrelas *u*
    fala a verdade, você chorou? ;-;
    adooooorei [COMO SEMPRE] sua resenha yay :B

    ~nath

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HASUHAS John Green é foda!
      Chorei um pouco visse :I kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu queria chorar mais

      Vlw :DD

      Excluir
  3. Eu estava muito com medo de ler A Culpa é da Estrela, porque eu li O Teorema de Katherine e não gostei muito, mas acoabei compra "ACEDEstrelas" e me arrenpendi de não ter lido antes, não cherei só me emocionei, mas um livro que conseguer fazer isso comigo precisa de aplausos. :)
    Adorei o layout galaxy.

    Abraços,até a próxima.
    muchachoonline.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito desse livro, mas acho que o fato de Hazel procurar compulsoriamente o final de uma aflição imperial se torna infantil, fútil. E outra, tudo acontece muito rápido. Ainda sim, é um dos melhores livros que li. John é genial

    ResponderExcluir
  5. Queria muuuito ler esse livro!!
    Já ouvi falarem muito bem dele!!

    www.my--bookshelf.blogspot.com

    ResponderExcluir