Resenha: Divergente


Divergente,
de Veronica Roth,
editora Rocco.





Abnegação, Amizade, Audácia, Erudição e Franqueza. Cinco facções; uma escolha. O que você faria se fosse um divergente?

Beatrice Prior é uma das várias habitantes de uma Califórnia futurística que está prestes a fazer uma decisão: qual facção irá escolher para passar o resto de sua vida. E ela, igualmente aos outros adolescentes, ao completar 16 anos, deverá passar por uma grande cerimônia, onde deverá escolher entre permanecer na facção em que nasceu, ou mudar para uma outra. Mas, ao realizar um teste de aptidão, ela descobre que é, na verdade, uma divergente, já que respondeu as simulações de forma inesperada. 


Quando se vê dividida entre sua família e quem realmente é, ela faz uma decisão que surpreende a todos e inclusive a ela mesma.


Mas acontece o imprevisível. Com seu segredo seguro, ela descobre que pode ser a chave mestra de uma guerra civil que está prestes a acontecer.


Perfeito. É a palavra que usarei pra definir o livro. Simplesmente perfeito.


Eu sei, eu sei: séries futurísticas e distópicas estão virando moda desde Jogos Vorazes, mas não deixam de ser boas. 


Não sei se é pelo fato de parecer tanto com a trilogia de Suzanne Collins, mas eu realmente gostei bastante desse livro! É tão envolvente e viciante que eu quase li em um dia. Quase. Segundo minha mãe, não era saudável. Resultado: descobri que moram umas pessoas na minha casa.


O único problema que tive foi na hora de imaginar a personagem. Não que eu não tenha conseguido, mas, segundo o livro, Beatrice tem cabelos claros. A questão é que eu só consegui imaginá-la como uma amiga minha - franja, com cabelos pretos e longos. Não me pergunte o porquê. Mas a única desculpa que eu achei foi imaginar que ela pintou o cabelo no meio do livro. 

Insurgent (Divergent, #2)


E, um ponto que eu não posso deixar de citar, é a narrativa: é exatamente igual a de Jogos Vorazes. Rápida, fácil e envolvente. Não muito simples, nem muito detalhada, mas que te faz imaginar perfeitamente os lugares em que se encontra e o que está fazendo.

Como faz um bom tempo que li, não tenho exatamente tantos argumentos que poderiam fazer-lhes se interessar pela história sem revelar o que acontece no livro. Mas a questão é que eu realmente fiquei fixado pela história da Veronica Roth, e estou muito  vocês não fazem ideia do quanto  ansioso para ler Insurgente, segundo livro da série.

Nenhum comentário

Postar um comentário